11/12/2009

O Jardim da patroa...(correria frenetíca)

Sexo e jardinagem é uma combinação perfeita para o bem estar do dia a dia.Ambos liberam endorfina e têm uma relação direta com o estado de humor.
Quem faz sexo pode ter um desempenho melhor na jardinagem,eu acho que tanto uma coisa como a outra farão bem para a alma e é isso que importa.
A endorfina bem estimulada dá-nos uma sensação de bem estar,e melhora muito a auto estima o que gera o aumento da libido ou seja ,depois de fazer sexo e jardinar estaremos sempre mais relaxados todo o exercísio movimenta o corpo e gera bem estar fisíco e mental.E com o corpo mais energizado o desejo sexual aumenta ,e fazendo sexo tb melhora o humor e alivia a tensão e assim seremos mais felizes.A auto estima elevada ajuda tb a diminuir a vergonha,e o corpo fica mais bonito.


...por isso corram,façam jardinagem,e muuuuito Sexo!!!
:)

05/02/2008

Spa de peixe laranja, mas sem sumo!!!

Domingo, dia 3 de Fevereiro de 2008.

Quarto minguante.

Trio reunido.

Sopa atrasada.

Internet x tempo para socializar.

Vence: tempo para socializar.

Sopa: fica a AGUARDAR.


Terça-feira de carnaval, 5 de Fevereiro de 2008, a caminho da lua nova, viva as novas auroras!!!
16:58... pensamos: juntar os pontos, dar os pontos, que vêm do quarto minguante... encontros e desencontros com a sopa spa de peixe laranja, mas sem sumo!

Vamos começar!!!

Preparem-se!!!


Ali debaixo naquele dia que podia ser ontem, que pode ter sido hoje e que também poderá ser amanhã, quem sabe, encontrámos, encontramos e encontraremos ele, o Dr. peixe laranja.

- Sim, Mouralinda?

- Hoje eu não tô nada mesmo inspirada!!! Talvez seja o início da lua nova!!!Acho que não promete muito a lua nova!!! Ai, não acredito!!!Quero mais bolachinhas!!!

- Bem, voltemos ao princípio, quem estava debaixo da rede?

- Um menino ratinho!!!

- Um menino ratinho?! Então, e o Dr. peixe?!

- O Sr. gato comeu o Dr. peixe!!!

- Ai...

- Ficámos sem o Dr. peixe para a sopa.

- Mas, temos que fazê-la na mesma, e agora?

- E agora, vamos ali ao jardim da D. Murila buscar umas meninas pétalas de rosas cor de lilás, sempre nos dá alguma tranquilidade e inspiração para a sopa...

- Pois, as especiarias já estão todas aqui, mas eu jurava que o Dr. peixe também estava, mas se dizes que o Sr. gato o comeu...

- Vamos começar pelos sabores mais aromáticos!!!

- Ó, o Dr. peixe estava aqui, ouviste?

- Então traga daí o Dr. peixe!!!

Recapitulando: naquele dia o Dr. peixe debatia-se numa poça contra a areia da praia. Ao seu redor avistámos restos de laranjas e um Sr. nabo muito verdinho que reluzia à luz do sol.

Ora bem, parece-nos que o Dr. peixe auto-medicara-se e auto revestiu-se de uma cor muito vivinha, mas para nossa pena e também felicidade ele não conseguiu escapar-se à sopa.

Entrámos então na segunda fase desta aventura: o nosso laboratório culinário.

Ele ainda estava a respirar. A mana da Mouralinda teve pena e deixou sair do seu intímo leves suspiros... ambas pediram perdão a Deus e ao mar, e começaram a tratar da sopa spa.

Os ingredientes já estavam todos a postos nos seus respectivos lugares:

Mouralinda estava a volta com os srs. alhos e bugalhos que queriam fugir. Marquinhas conversava com o sr. nabo preparando-o para cortá-lo. A mana da Mouralinda tratava de todo o resto. Foi então, que D. Murila apareceu no laboratório um pouco chateada pois descobriu que alguém estava a dar cabo das suas rosas. As meninas perceberam de que rosas se tratavam, e não disseram uma palavra. Começaram por distrair a atenção da D. Murila no sentido dela indicar como preparar o peixe laranja sem sumo. D. Murila reinvendicou logo:

- O peixe tem sumo sim e bem que vocês podem fazer uma limonada com ele!!!

As meninas replicaram:

- Uma limonada?! Mas afinal o que estamos a fazer? Sopa ou limonada?

- As duas coisas!!! Uma sopa não vive sem uma boa limonada, uma boa limonada não vive sem uma boa sopa.

- Adiante: cozinhamos ou não a sopa?!

- Quero ver os ingredientes!!!

- Ora bem D. Murila, aqui estão eles:

1. 1kilo de Dr. peixe laranja, sem sumo.

2. Pétalas de duas rosas cor de lilás.

3. Massinhas estrelinhas douradas.

4. 1 Sr. nabo (advindo da horta do sr. Sócrates, desterrado em pleno mar, o mar por sua vez não quis tratar do assunto e as ondas devolveram-no à praia... e ainda dizem que o mar é que dá frutos estranhos!!!).

- E as especiarias?

- Ora bem D. Murila, ali estão elas:

1. sr. sal q.b.

2. 1 menino limão para retirar suminho.

3. 1 Sr. alho francês vindo directamente de Paris.

4. 1 menina cebolinha carequinha do quintal da vizinha, daquelas cebolinhas que fazem-nos chorar!!!

5. 1 sr. gengibre recém-chegado das Índias.

6. Meninos tomates fresquinhos do cestinho da D. Maria que vendia na nacional 125.

7. Menina malagueta natural de Grândola Vila Morena, terra da felicidade, o povo é que mais ordena ... e: cravo ao peito. Nem mais!

D. Murila achou graça e perguntou:

- Como vão fazer esta sopa?

As meninas empolgadas responderam ao mesmo tempo, pareciam mesmo que eram uma pessoa só:

- Vamos triturar as especiarias todas na panela de ferro da Serra do Caldeirão com uma pedra lascada da idade da pedra. Àquela pedra que está sempre a olhar para nós.

- Colocaremos água natural da nascente para ferver. Após levantar fervura colocaremos as massinhas douradas, vão brilhar tanto, que nem arco-íris!!!

- E arco-íris brilha?

- É claro que sim, brilha dentro de ti!!!

- Quando as meninas massinhas estiverem prontas, misturaremos à elas as especiarias que também já estarão no ponto!!! Ainda adicionaremos o sr. nabo extremamente cozido e desfeito e o Dr. peixe que tembém estará muito bem cozido.

Ora bem, não faltarão os seguintes ingredientes adicionais que não deverão faltar em nenhuma receita feita em qualquer altura neste planeta terra:

Atenção, amor, paz, alegria, sáude, bons pensamentos, paciência...

Se a sopa não te satisfaz, há sempre uma sra. gorda batata doce para solucionar as carências!!!

Saudações à todos e até a próxima fase :) !!!


30/12/2007

Sopa Quarto Minguante

Olá a todos,

Já comeram a sopa hoje?!

Sim?! Parabéns!!! Não?! Ah, vocês não sabem o que perdem, ou melhor, o que não conhecem!!!



Breve história da Sopa Quarto Minguante

Nos tempos idos a muito tempo a frente, depois de uma longa caminhada a apanhar pepinos do mar na areia da praia devolvendo-os ao mar, três amigas dirigiram-se ao monte para aconchegar os seus estômagos.

Sob o efeito carente de vitaminas, proteínas e etc., etc., etc. e coisa e tal (com excepção do chocolate), nasceu uma inspiração na colher de pau. Esta estava em cima de uma mesa a espera de entrar em acção!

-Panelas para elas, panelas para elas!!! Sem panelas não há colheres de pau!!!

Ora, a colher de pau, original da serra de Monchique estava cansada de mexer coisas duras e pouco saborosas. Pois bem, naquele instante em que as três amigas confabulavam na entrada da cozinha sobre o que viria a ser o jantar, eis que surgiu uma luz!!!

A colher de Pau ao olhar ao seu redor avistou a sra. pêra, o sr. piri-piri, a menina laranja, uma avó abóbora, uma sra. gorda batata doce e muitos outros companheiros de cozinha e dispensa...

Mexeu-se, rolou o seu corpo magro para um lado e para o outro da mesa, tentando cair no chão. Foi uma empreitada difícil, mas com a ajuda do cabo da sra. faca de pão ela conseguiu finalmente chamar a atenção das três amigas confabuladoras.

Emocionante e perplexa viagem ao mundo dos sentidos: três esfomeadas sem saber o que comer percorriam no mesmo instante por vias da imaginação a cenários de culinárias várias... a sra. colher de pau emitia a sua energia vibrante que lhe foi passada geneticamente e hipnotizava-as.

Foi então que uma das três amigas decidiu fazer correr imediatamente as outras duas:

- Fora da minha cozinha!!!

Agarrou a sra. colher de pau com toda a energia pulsante, começou a seguir o seu instinto natural, ao invés de ir buscar coisas escritas algures...

A sra. colher de pau enviava-lhe mensagens e os demais vizinhos de cozinha também. O corpo humano da terceira amiga comunicava-se com todas as células ali presentes.

Enquanto as duas amigas reunidas no quarto ao lado diante de um PC manuseavam o rato descobrindo o incrível mundo virtual, um cheiro esboçava-se no ar abrindo ainda mais os seus famintos estômagos.

É que na cozinha a D. Murila tinha cortado aos bocadinhos toda a vizinhança avistada pela sra. colher de pau: meio quilo da avó abóbora, uma grande menina cenoura, a sra. gorda batata doce, um pequenino piri-piri, quatro dentes de meninos alhos, um bom pedaço da menina gengibre e três folhas de louro velho. Após cortá-los, colocou-os juntos numa panela de barro algarvia dentro d'água não da chuva e sim da fonte, mas a fonte do outro lado do charco. Em lume brando para bem cozinhar.

Acrescentou alguns srs. condimentos importantíssimos para dar sabor:

1. Velhos caldos knorr com sabor a legumes ainda na validade;

2. O caril no vinho chegado das Índias das nossas loucas viagens.

Atenção: a sopa não tem vinho!!!

3. Um pouquinho só de nós moscada, pouquinho mesmo... muito faz com que o cerébro leve o ser humano a outras paragens...

4. Um limãozinho do jardim das Papoilas com umas raspas raspas raspas...

5. Um rosmaninho recém-nascido. (Pidi, pidi, pidi, pidi!!!).

6. Para finalizar o yogurte, mas tem de ser natural com bifidus. (?!)

Passados alguns minutos, a menina Mouralinda e a menina Marquinhas ainda estavam especadas diante do PC, o admirável mundo novo levava-as a mares nunca antes navegados.

E na cozinha a D. Murila triturava freneticamente com a sra. varinha mágica (mas sem chapéu de fada), todos os srs. ingredientes transformando-os numa papinha terapêutica.

Quadro final:

- Meaham, meaham, hum, hum, meam, meam, meam!!! Peace and Love!!! E um bom Ano!!!

(em off) - Puuuuuuuuuuuuummmmmmmm... - Tinha que ter alguma coisa para estragar!!!

As três amigas riam-se sem parar, enquanto os fogos desenhavam estrelas no céu sob o mar.

- Feliz 2008!

- Feliz 2008?

- Feliz 2008 :)

Contam algumas lendas que após o badalar do sino à meia-noite as princesas tornam-se abóboras, bruxas, sapos, tartarugas, coelhos... portanto, o Trio Colher de Pau precisava se recolher, despediram-se e a menina Mouralinda fez questão de dizer à menina Marquinhas que "As tartarugas conhecem melhor a estrada do que os coelhos".

A D. Murila despediu-se das suas queridas amigas presenteando-as com papoilas.






NÃO PERCAM A PRÓXIMA FASE DA LUA